Notícias

(21/06/2018)
Lei torna obrigatória capacitação em primeiros socorros nas escolas de Colatina


vereador_charles_luppiPor ano, mais de 3.500 crianças de zero a 14 anos morrem por motivos acidentais, segundo dados compilados pelo site Criança Segura. Em muitos casos, o óbito poderia ser evitado se algum adulto estivesse preparado para prestar socorro imediato. Essa dura realidade tem mobilizado governantes em diversas partes do país a pensar soluções para que as crianças possam ser socorridas a tempo.


No Espírito Santo, foi aprovada na Câmara Municipal de Colatina, na última semana, o projeto de lei do vereador Charles Luppi (PSB-ES), que estabelece um programa de lições de primeiros socorros na educação básica da rede escolar do município. O objetivo é oferecer uma capacitação em primeiros socorros aos professores e funcionários que lidam diretamente com as crianças, dando prioridade aos primeiros níveis escolares, como creches, pré-escolas e estabelecimentos de recreação infantil.


Segundo o vereador, o treinamento será realizado pelo Corpo de Bombeiros, que irá estipular uma carga horária, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, que vai definir os dias da capacitação, dentro do horário de trabalho dos docentes. Os professores e funcionários das escolas poderão candidatar-se voluntariamente para participar dos treinamentos e receberão certificados de participação. Todo ano uma nova leva de professores receberá o curso, e estes serão os primeiros escalados para acompanhar os alunos em viagens e passeios.


“O objetivo da lei é assegurar a presença de pessoas aptas a prestarem o atendimento inicial em casos de emergência. Tendo um professor treinado, ele saberá qual o procedimento para salvar a criança até o corpo de bombeiros chegar, aumentando as chances de salvar vidas”, explicou o vereador.


 Lei Lucas


O projeto de lei é resultado de um movimento popular que teve origem com o caso do menino Lucas Begalli Zamora de Souza, de 10 anos, que no ano passado faleceu de asfixia mecânica durante excursão escolar em Cordeirópolis (SP) ao se engasgar com um cachorro quente. Socorristas que atenderam o caso avaliaram que se houvesse a presença do profissional de primeiros socorros no momento do incidente a morte poderia ter sido evitada.


A partir daí, a mãe de Lucas, Alessandra Zamora, idealizou o projeto de lei e se mobilizou percorrendo os municípios brasileiros para que ele seja aprovado nas Câmaras Municipais. Até o momento, pouco mais de 100 cidades já aprovaram o projeto, e Colatina é a primeira cidade capixaba. A luta agora é chegar a Brasília para que se torne uma lei federal.