Notícias

(05/04/2018)
Edmar Camata se filia ao PSB-ES para disputar Eleições 2018


O secretário-geral da ONG Transparência Capixaba, Edmar Camata, agora faz parte do Partido Socialista Brasileiro (PSB). A filiação oficial do novo socialista aconteceu no dia 05 de abril, na sede do partido, em Vitória.


Camata optou pelo PSB após conversar com outras 14 legendas e ouvir a contribuição de 400 cidadãos sobre o momento político e opção partidária. Segundo ele, sua escolha levou em consideração sua afinidade ideológica e temática com o partido e com ações promovidas por representantes nacionais e locais do PSB, muitas delas afins às causas defendidas pela ONG.


“Considerei, por exemplo, a participação do senador João Capiberibe (PSB-AP) na criação da ‘Lei da Transparência’, que exigiu dos órgãos públicos exibirem informações em seus portais para que o cidadão possa fiscalizar. Localmente, foi Casagrande quem criou, no início de seu mandato (2011), o Conselho Estadual de Transparência Pública e Combate à Corrupção. Além disso, pesou na decisão o partido ter me dado liberdade para trabalhar os temas defendidos historicamente pela Transparência, sem ressalvas”.


_MG_2471 (1)


Estado mais transparente


Edmar lembrou ainda outro episódio importante que marcou a gestão de Renato Casagrande (PSB-ES), quando o Espírito Santo liderou, pela primeira vez, o ranking nacional de transparência, divulgado em 2014 pela ONG Contas Abertas, que avalia os portais onde cada Estado e município disponibilizam os dados de execução do seu orçamento.


Combate à corrupção será a grande bandeira


A intenção de Camata com a filiação ao PSB é lançar seu nome pela primeira vez a um cargo eletivo, de deputado federal, onde pretende representar as bandeiras com as quais já atua em 10 anos dedicados à entidade, que é referência na luta contra a corrupção e por mais transparência no poder público no Espírito Santo. Em 16 anos, a Transparência Capixaba teve participação em momentos importantes, como a aplicação da Lei da Ficha Limpa, as 10 medidas contra a corrupção, denúncias sobre má utilização de recursos públicos e servidores fantasmas, e propostas de melhorias do portal de transparência das prefeituras.


Ele afirma ainda que em outros momentos a atuação da ONG foi decisiva para que fossem quebrados alguns sigilos de documentos que deveriam ser públicos por natureza, como o acordo bilionário feito pelo Governo ES com a Samarco na tragédia do Rio Doce, que a entidade conseguiu acesso; dados do esgoto no ES que a Cesan tratava como sigilosos e informação sobre o mau uso de aeronaves públicas. “O que marca a pauta é que é uma entidade propositiva, não faz só a crítica, mas leva propostas de solução e são justamente essas propostas que motivam o meu projeto de pré-candidatura. Ela representa um grito da sociedade dado por alguém que conseguiu espaço partidário para levar as pautas que combatem o cenário que vivemos hoje no país. As pessoas têm que ser protagonistas”, ressaltou.


Camata recebeu também importante reforço na pré-candidatura. Ele integrará o time apoiado nacionalmente pelos Policiais Federais. A escolha ocorreu a partir do momento em que as pautas anticorrupção foram apresentadas, identificando-se, portanto, com a atuação da Polícia Federal em ações de combate ao desvio de recursos públicos.


Valores sólidos


Camata, que também é policial rodoviário federal e sobrinho do ex-governador do Espírito Santo Gerson Camata, apontou ainda três fortes valores que traz da Transparência e que mais se aproximam com o PSB: representar verdadeiramente as pessoas; ter candidaturas sólidas para eleição majoritária, ao lado de Renato Casagrande e com possibilidade de Joaquim Barbosa para disputar a presidência, nomes fortes e conectados com a realidade; e em terceiro lugar, a percepção, durante sua pesquisa, de que as pessoas não veem o PSB como um partido que se distanciou da sociedade, como é comum ver outras legendas que estão com a imagem arranhada.


“Minha entrada no PSB também gera um compromisso para o próprio partido, abrindo a outros candidatos a possibilidade de abraçarem essa causa. É um ganho coletivo incentivá-los a seguir com essas bandeiras de transparência e anticorrupção. A política está cheia de trocas espúrias. Essa é uma troca legítima”, completou.


De acordo com o presidente estadual do PSB, Luiz Ciciliotti, os princípios de Camata compactuam com os do PSB, por isso o partido está orgulhoso de colocar seu nome à disposição para a disputa a deputado federal em 2018.