Notícias

(02/01/2015)
Casagrande deixa R$3,3 bilhões em caixa no governo do ES


Casagrande deixa R$3,3 bilhões em caixa no governo do ES


O governador Renato Casagrande chega ao final de seu período à frente do governo do Estado do Espírito Santo, com um caixa de R$ 3,3 bilhões à disposição para novos investimentos. Deixa recursos livres, dinheiro para concluir mais de 500 obras em andamento e uma administração totalmente equilibrada, sendo o único Estado brasileiro com nota A, do Tesouro Nacional da República, pelo equilíbrio nas contas públicas. É o maior volume de recursos que um governador deixa para seu sucessor.


Todos os indicadores sociais e econômicos medidos em janeiro de 2011,quando assumiu o governo, foram melhorados e apontam índices superiores em dezembro de 2014, demonstrando que a qualidade de vida dos capixabas melhorou em todos os sentidos. Neste últimos 4 anos, o governo do Espírito Santo realizou os maiores investimentos da sua história. Mais de R$ 6 bilhões foram aplicados em infraestrutura e melhores equipamentos públicos foram entregues à população.


O ex-governador socialista investiu pesado na área social. Após 30 anos,Casagrande inaugurou mais um hospital público no Estado. O hospital Jayme Santos Neves, localizado no município de Serra, na região metropolitana da Grande Vitória, com 424 leitos, sendo um dos maiores do país, inaugurados nos últimos 10 anos. Entregou também o novo Hospital São Lucas, referência em trauma no Estado. Atenção total à saúde, com abertura de mais de 1000 leitos, figura como um dos seis estados brasileiros que registraram aumento na abertura de leitos hospitalares, de acordo com números oficiais do ministério de Saúde.


Descentralizou o atendimento, levando cirurgias eletivas para vários hospitais regionais em municípios pólos, novas UTIs foram abertas, contratação de médicos, servidores da saúde e a criação do programa de repasse de recursos “Fundo a Fundo” aos municípios para serem aplicados na saúde básica, prevenindo várias doenças crônicas no futuro.

Na educação, colocou em Espírito Santo no primeiro lugar do Brasil na avaliação internacional PISA da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), pelos padrões educacionais de alunos até 15 anos. Abriu novas escolas e recuperou as instalações físicas da rede pública estadual de mais de 400 escolas em um total de pouco mais de 500 escolas existentes.


Na segurança pública fez uma revolução com a implantação do programa “Estado Presente”, reduzindo ano a ano o número de homicídios. Redução em cima de redução, com aproximadamente 1500 assassinatos a menos se comparado com o número de homicídios ocorridos em 2010. Em 4 anos, contratou 6 mil policiais num total de 10 mil homens na ativa, entregando pela primeira vez, em mais de 160 anos de história da PM, o quadro completo da Polícia Militar. Investiu no setor de inteligência policial, comprou novas viaturas com computadores instalados, GPS e equipou a polícia com instrumentos de última geração no combate ao crime. Os resultados são visíveis, com redução dos índices de criminalidade em todas as regiões do Estado. Nas regiões mais vulneráveis, a administração de Casagrande levou à comunidade os serviços públicos dando mais cidadania aos que mais precisam. Com a contratação de novos policiais criou a “Patrulha da Comunidade”, polícia interativa que aproximou a sociedade a atuação policial.


Os resultados de governo mostram uma redução de mais de 50% na extrema pobreza em 4 anos de políticas estratégicas no enfrentamento desse problema. Caso as políticas implantadas sejam mantidas, em menos de 4 anos, o Espírito Santo será o primeiro estado brasileiro a extirpar a extrema pobreza entre a população. O programa Bolsa Capixaba, criado na gestão de Casagrande, a exemplo do Bolsa Família, transfere renda para essa camada da sociedade que necessita do Estado para as demandas mais básicas.


Uma política de valorização do servidor foi implantada com a consolidação do maior número de planos de cargos e salários já realizado, em 4 anos de gestão. Um plano previdenciário que torna a administração sustentável ao longo das próximas décadas foi implementado. Assim como o Plano de Desenvolvimento Sustentável foi concebido para fazer frente a redução do Fundap, imposto pelo governo federal que atingiu as receitas do Estado e dos municípios capixabas.


Durante a gestão do socialista foram destravadas as principais obras do governo federal em execução no Estado que sofreram diversos atrasos e interdições de órgãos de controle e fiscalização. Na atração de investimentos privados, mais de R$ 100 bilhões estão acordados até 2016. Casagrande foi o responsável por colocar o ES no mapa das montadoras de automóveis, trazendo a indústria automotiva para a região norte capixaba. O Espirito Santo se destaca pela transparência nas ações públicas e na relação republicana com que trata os negócios. Foi eleito pela ONG Contas Abertas, o Estado mais transparente do Brasil. O governador Renato Casagrande deixa o cargo com mais de 60% de avaliação positiva do seu governo. A partir de agora, assume a função de presidente da Fundação João Mangabeira, ligada ao PSB Nacional, responsável pela formulação de novas políticas públicas para o país.


 



Fotos